Animais já adotados com a ajuda do Patinhas Solidárias

Histórias Felizes!

Linda, a mimada

Nos seus primeiros tempos de vida, a LINDA viveu confinada a uma casa de banho, rodeada de gritos e violência. Depois foi abandonada e ficou desprotegida. Mas o futuro reservava a esta cadelinha meiga um destino de AMOR. O Patinhas Solidárias encontrou um lar para esta patuda e uma companhia: a gata BEX BEX

No mesmo momento em que Andreia Oliveira viu LINDA, a agora tutora rendeu-se por completo a esta menina cheia de vida e de amor para dar. Atualmente, é uma cadelinha super feliz, mimada e cheia de amor.

Cuca, a resiliente

A CUCA foi encontrada em Odemira com apenas 700 gr, a sua mãe e dois irmãos. Todos estavam mortos, à exceção desta pequena guerreira. Estava há cinco dias sem alimento, bebia pouca água, apresentava uma grande quantidade de fungos e um vírus nos olhos.

CUCA na sua nova casa!

A sua atual tutora, a Ana, não conseguiu ignorar o sofrimento da bichinha e por isso, levou-a ao veterinário, tratou dela e partilhou a história para lhe encontrar um lar. Mas acabou por não conseguir resistir aos encantos da CUCA, que veio engordar a família de 4 patas da Ana: a cadela MIKAS e o gato PIKI, que tem 12 anos e foi adotado já em adulto com FIV positivo.

Nino, o lutador

O NINO foi encontrado no verão em São Jorge, debaixo de um guarda lamas de um carro, com coriza e um olho maltratado.

O Patinhas Solidárias ajudou nos tratamentos do NINO e a encontrar um lar cheio de amor, onde hoje é muito feliz. Apesar de ter ficado sem um olho, este bichano não se deixa vencer por nada: é um lutador e faz as delícias de qualquer um!

Boneca, a ternurenta

A BONECA foi encontrada com um problema ocular e uma infeção pulmonar. O Patinhas Solidárias encarregou-se dos seus tratamentos veterinários e de lhe arranjar um lar.

Isabel Oliveira e José Ferreira, co-fundadores do projeto, não resistiram aos encantos desta bonequinha e acabara por adotá-la. Além de curada, a BONECA está também muito satisfeita por poder partilhar momentos de ternura com o José e o doce CANICO.

Meigy, a pacífica

A MEIGY viveu durante muito tempo nas ruas de Belém, Lisboa, ao frio e à fome. Um dia foi atacada por um cão e o Patinhas Solidárias foi chamado a intervir. Cuidou da pequena, providenciando-lhe os tratamentos veterinários necessários e um lar para sempre.

MEIGY refestelada no jardim da sua nova casa!

Hoje a MEIGY já não tem de se preocupar mais com os perigos da rua mas sim, em passar o dia a apanhar sol no seu espaço preferido: o jardim da sua nova casa.

Flash e Joel, os irmãos

O FLASH e o JOEL foram encontrados num telhado de uma casa em Fafe pelo projeto Os Gatos que Fafe Esqueceu. Estavam ambos maltratados, com frio e fome mas era o FLASH que mostrava mais mazelas: estava cego do olho direito.

O Patinhas Solidárias trouxe o FLASH para Lisboa, para cuidar do patudo, providenciando-lhe a castração e o chip de identificação e, posteriormente, uma nova família e uma casa.

Hoje o FLASH tem um sofá quentinho e mimos diários.

JOEL e o seu tutor

Quem também encontrou um lar para sempre foi o JOEL, que veio com ele de Fafe e que hoje faz as delícias da sua família.

Amélia, a espirituosa

Além de uma família, a agora AMÉLIA, de 1 ano, procurava alguém que lhe desse um nome, amor e carinho. Estava em São Pedro de Rates, na Póvoa do Varzim e a sua alegria e energia podia contagiar o mundo inteiro.

A anterior vida de AMÉLIA, que já nessa altura, mostrava ser uma patuda extrovertida

A patuda não apresentava nenhum problema de saúde, tinha o pêlo cortado e a única necessidade era, ser feliz num sofá quentinho, rodeada de brinquedos e dos mimos da sua família – que não tardou muito a chegar.

Duas semanas depois do Patinhas Solidárias fazer um apelo em favor da AMÉLIA na sua página de Facebook, a patuda sem nome encontrou a sua família!

Impossível resistir a esta fofura!

Labrador, o confinado

Em março de 2020, o Patinhas Solidárias teve conhecimento de uma situação de negligência a que um jovem LABRADOR estava sujeito. O patudo vivia em cativeiro numa corte escura, desde bebé. Nunca saia para passear e era obrigado a comer, dormir e fazer as suas necessidades naquele espaço ínfimo.

O Patinhas Solidárias descobriu que o doce LABRADOR tinha apenas um ano e meio e tratou de lhe arranjar uma família de raça! Em poucos dias, o patudo encontrou um lar e uma família que o recebeu com toda a responsabilidade e amor que ele merecia. Foi entregue com boletim de vacinas e chip registado.

Uma história feliz, que contou com o apoio do Patinhas Solidárias!

Pintainho, o sociável

Durante uma das entregas ao domicílio da nossa Ração Solidária, encontramos um pequeno pintainho perdido, bastante assustado e maltratado. Tinha sido acolhido há poucos dias, pela nossa cliente, a D. Fátima, que alimenta várias colónias de gatos.

O momento em que o Patinhas Solidárias recolheu o PINTAINHO

Como não tem condições para ficar com ele, o Patinhas Solidárias encarregou-se de arranjar um lar para o pequeno. Primeiro, foi temporariamente acolhido pela co-fundadora do Patinhas Solidárias, Isabel Oliveira. Durante esse tempo, o PINTAINHO partilhou momentos de camaradagem com o cão da família, o CANICO.

O PINTAINHO fez novos amigos e encontrou uma casa!

Depois, o bichinho foi entregue ao apresentador João Baião, que tem uma grande quinta de animais. O PINTAINHO está a ser muito bem tratado e vive muito feliz ao lado dos seus “irmãos”!

Nino, o brincalhão

O NINO é um cão grande com um coração gigante. Mas não se deixe enganar pelo tamanho desta fofura: no fundo, no fundo este patudo é um bebezão carinhoso, meigo e muito brincalhão.

Durante muito tempo, viveu no abrigo Casa Amarela Azáfama ao Rubro onde era muito bem tratado. Mimos e comida eram coisas que nunca lhe faltavam. No entanto, o NINO sempre ansiou por uma família e uma casa que pudesse chamar sua.

Então, em abril de 2020, o Patinhas Solidárias lançou um apelo na sua página de Facebook para tentar encontrar um tutor NINO – e CONSEGUIMOS! Em meados de maio o nosso doce peludo, ainda não tinha encontrado um sofá quentinho. Decidimos voltar a apelar à gerosidade dos portugueses. Então, no final desse mês, o nosso bebezão foi FINALMENTE ADOTADO, por uma família maravilhosa e nesse dia a sua felicidade era mais do que evidente!

NINO e a sua nova família, no dia em que foi adotado

Para a agradecer o ato de amor e carinho dos novos tutores, no dia D o levou para casa, um saco de 15 kg de RAÇÃO SOLIDÁRIA Alta Energia para que nunca lhe falte alento nas brincadeiras diárias, uma oferta simbólica do Patinhas Solidárias.

Ajude a ajudar!

Sempre que comprar Ração Solidária para o seu patudo, 10% dos lucros revertem a favor da causa animal.

Ajude a ajudar!​

Sempre que comprar Ração Solidária para o seu patudo, 10% dos lucros revertem a favor da causa animal.